domingo, 11 de março de 2012

Mãos Vazias

... buscando o nada
 palpando o tudo
entre coisas vãs. ...
contorcendo-se
na distância do tempo
magras de vida interior.
... ansiando calor
 nervosas como quem espera flores
 inexpressivas aos regressos
desbotadas como carícia perdida
agonizante de eloqüências
sem cores
cegas
mudas como pássaros feridos.
Mãos vazias
vazias
paradas em meio dos caminhos
vazios.
Alvina Nunes Tzovenos

Nenhum comentário:

Postar um comentário