domingo, 11 de março de 2012

As Janelas da Minha Rua



Ah, as janelas da minha rua!
contando segredos
tão particulares, tão singulares.
 
 meninas debruçadas
olhando a lua, as estrelas
as das ilusões!
 
 janelas de minha infância
mulheres questionando
espionando
deixando a tarde passar.
 
janelas de tantos contrastes
falatórios de bem-querença
janelas que o tempo apagou.
 
Janelas da minha rua
de amores esperados
apaixonados
das serestas que o tempo gastou.
Alvina Nunes Tzovenos

Nenhum comentário:

Postar um comentário