quinta-feira, 19 de março de 2009

Outono


uma aragem
uma estação
um rito de passagem...
um cão sem pelo
em cima do muro:
não é lava nem gelo
nem claro nem escuro -
uma luz quase sedada
em transição
(as árvores confrangem;
os ursos já estendem
as compridas camas)
um sopro
esta alma esvoaçada
um verso
uma folha de mim
à tua janela
deixada.

Fernando Campanella





3 comentários:

  1. Simplismente Sensacional !!!

    ResponderExcluir
  2. "...eu trocaria uma eternidade de depois da morte, pela eternidade enquanto estou viva."
    Clarice Lispector

    Demais né?
    Bjão pra você!

    ResponderExcluir
  3. Não gosto do Outono, muito embora seja uma das estações preferidas dos poetas, que o descrevem sempre de maneira magistral.
    Um abraço

    ResponderExcluir