quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Sombra Verde


Sobre o capim orvalhado e cheiroso
Maciez das boninas,
espinhos das rosetas,
cricris sutis nesse mundo imenso,
tão pequenino
Volúpia de gozar as sensações
de sentir junto a mim o coração da terra,
no seu trabalho milenário e silencioso,
como se eu fosse longamente uma raiz profunda
Mãe-Verde
Reclinei-me em seu regaço,
onde há venenos e perfumes.
E todo o cheiro das suas folhagens,
toda a seiva dos seus frutos,
frescura de águas claras e de folhas verdes
vem banhar como um bálsamo as pálpebras fechadas.
Augusto Meyer

Nenhum comentário:

Postar um comentário