sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Pretexto



Por que não cai a noite, de uma vez?
— Custa viver assim aos encontrões!
Já sei de cor os passos que me cercam,
o silêncio que pede pelas ruas,
e o desenho de todos os portões.

Por que não cai a noite, de uma vez?
— Irritam-me estas horas penduradas
como frutos maduros que não tombam.

(E dentro em mim, ninguém vem desfazer
o novelo das tardes enroladas.)
Maria Alberta Menéres

2 comentários:

  1. Olá !
    Sou uma admiradora de M. Alberta Meméres.
    Gosto da sua poesia. Os seus livros infantis fizeram parte das minhas aulas de Português e os alunos adoravam!Bom final de semana.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  2. Olá, Maria Emilia!
    Estou descobrindo os escritos da autora e, encantei-me pelas suas poesias. Fico grata por sua participação. Bom fim-de-semana!

    ResponderExcluir