sexta-feira, 18 de maio de 2012

Rochedo


Ergo-me diante do mar
Solitário
Com minhas asas de pedra
Desafiando as ondas
que procuram caminhos
Debatendo-se sobre mim
Ali, vivo personagens
Que desfilam entre o céu e a terra
E torno-me o canto de uma sereia
O vôo das gaivotas
Uma estrela que surge nos braços da noite
E o canto na voz do vento
que chora no som do mar!
Conceição Bentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário