quinta-feira, 17 de maio de 2012


No ponto onde o silêncio e a solidão
Se cruzam com a noite e com o frio,
Esperei como quem espera em vão,
Tão nítido e preciso era o vazio.
Sophia de Mello Breyner Andresen

Nenhum comentário:

Postar um comentário