terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Fantasia


Escondida de mim mesma
visto as asas da libélula e finjo que sei bailar.
Misturada a outras tantas
tintas de outras cores
cheiros de outras flores
canções que eu não sei cantar,
rodopio leve e lépida
entre um suspiro e um arquejo.
Travestida ou camuflada?
Vestida ou fantasiada?
Mentira séria ou inventada?
Eu não sei, mas não faz mal...
Melhor do que a fantasia
é poder despir-se dela
no final
de todo dia.
Lilian Dalledone

Um comentário:

  1. Gosto de ler poesia. Este blogue é um manancial sem fim. Obrigada pela dádiva.
    Alguns poetas não conheço, outros já fazem parte da minha vida.

    ResponderExcluir