sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Aquarela Azul

Pousada sobre a flor,
frágil e bela em demasia!
Tão diáfana que não se sabia,
o que era borboleta, flor...
ou se era só poesia!

Tremem as pétalas liláses
ao vento breve.
Fremem as asas anis
à brisa leve.

E há um céu sem nuvens
no olhar do poeta,
entre o azul das asas
e o azul da pétala.

Lenise Marques

Um comentário: