quinta-feira, 10 de março de 2011

Acalanto


Voa pensamento
vai fazer teu ninho
no silêncio inexorável
Peça ao coração dolorido
que leve um copo
de leite quente
para a outra metade
do coração febril
escondido entre os lençois
de uma lembrança
que lhe partiu ao meio
e as tantas
de outra madrugada
nos deixou a sós
Seu doce anjo ainda lhe afaga
os cabelos da lembrança
e a ilusão que ficou na porta
da recordação feito criança
espera o doce beijo de acalanto
o beijo do vento
o gosto do vento
na face dos olhos tristes.
Claraflor

Nenhum comentário:

Postar um comentário