segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

O Lápis



É por demais de grande a natureza de Deus.

Eu queria fazer para mim uma naturezinha

particular.

Tão pequena que coubesse na ponta do meu

lápis.

Fosse ela, quem me dera, só do tamanho do

meu quintal.

No quintal ia nascer um pé de tamarino apenas

para uso dos passarinhos.

E que as manhãs elaborassem outras aves para

compor o azul do céu.

E se não fosse pedir demais eu queria que no

fundo corresse um rio.

No rio eu e a nossa turma, a gente iria todo

dia jogar cangapé nas águas correntes.

Essa, eu penso, é que seria a minha naturezinha

particular:

Até onde o meu pequeno lápis poderia alcançar.

Manoel de Barros

Nenhum comentário:

Postar um comentário