quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Vazio

O pensamento à-toa
Que se perde no espaço.
E além, sem deixar traço
De si, o olhar que voa.

Um invisível fio.
O equilíbrio de uma ave
Na vertigem suave
Do voo no vazio.

Sob a aparente calma,
Esta inquieta, esta aflita
Vacuidade infinita
Para o respiro da alma...
Dante Milano

Nenhum comentário:

Postar um comentário