domingo, 27 de setembro de 2009

Carência


Não sei sobre pássaros,
não conheço a história do fogo.
Mas creio que minha solidão deveria ter asas.
Alejandra Pizarnik

2 comentários:

  1. SIL, você é campeã na seleção destas maravilhosas citações.

    Isto dá ao seu blog um nobreza e estilo incomuns.

    Mas pensa bem: Uma solidão com asas nos levaria para onde?

    Seria preciso pensar detalhamente o roteiro, a altura e o objetivos deste vôo, pois
    senão acabaríamos como Ícaro da mitologia grega que chegou tão perto do sol, que se derreteu.

    No entanto, poderia ter tambpém seu lado épico, igual ao Neil Armstrog, por exemplo, o primeiro homem a pousar na lua.

    Vou lhe contar uma estória absolutamente, verdadeira sobre este astroanuta.

    Quando ele criança, estava jogando beisebol com um amiguinho, quando a bola caiu debaixo da janela do seu vizinho.

    Armstrong, pulou a cerca viva que separava as duas casas e quando foi apanhar a bola debaixo da janela, ouviu o casal de vizinhos discutindo:

    - O quê, fazer sexo oral com você? Jamais?-dizia a senhora de mister John.

    Aí mister John, suplicava:

    -Faz!

    E ela respondeu lhe dando uma esperança:

    -Faço sim, mais só o dia em que este menino aí da vizinha o Armstrong,for à lua!

    Muitos anos depois, quando Neil Armstrong, colocou o pé na lua, disse uma frase que só muito mais tarde, ele numa entrevista, veio a explicar, pois ninguém na NASA tinha entendido nada.

    A frase foi:

    -"Good luck mister John"- Boa sorte Sr. John!

    ResponderExcluir
  2. Ah, Sil, tivesse asas e aonde estaria a solidão? E se ela resolvesse fazer seu ninho, sua morada dentro de nossa alma? Apesar das asas, continuaria conosco...

    ResponderExcluir