quinta-feira, 5 de março de 2009

A Vida, Enfim



Se nascemos para o amor
Para a celebração não oficial da vida,
não deixe, Deus, que eu me afogue
nas emboscadas de meus dissídios.
Venha a mim, a centelha exata que irradia,
Cruza os pântanos
E ilumina os párias.
Um mundo, enfim,
sem pedigree nem castas,
sem cifras nem mágoas.
Fernando Campanella

4 comentários:

  1. Parabéns pela postagem maravilhosa, lindamente trabalhada por vc, querida Sil. Puxa tudo q tocas, vira ouro!! Maravilha de poema! bj

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema, linda composição! Td q tocas vira ouro! To adorando viajar nesse teu infinito particular... bjs...

    ResponderExcluir
  3. Amiga que coisa linda seu blog.
    Linda música, lindas fotos, lindos poemas.
    Adorei muitooooooooooo. Parabéns e que seu estrela nunca se apague, pois você foi escolida por Deus para brilhar.
    Parabéns mais uma vez. Bjin

    ResponderExcluir
  4. Sil

    Adorei seu blog,tão lindo quanto seu sorriso.
    Deus abençoe e ilumine sempre seus caminhos.
    Parabens!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Micita

    ResponderExcluir